Polo Educacional dá exemplo ao adotar projeto “Horta na Escola”

  Wednesday, 11 July, 2018
EMEF Patrício Lopes adota projeto “Horta na Escola”

Por ser uma escola localizada na área rural, 16 quilômetros do centro da cidade, contar com um espaço para o plantio e a oportunidade de ensinar e aprender com os alunos, além da própria região ter uma característica própria para o desenvolvimento de estufas, o Polo Educacional Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Patrício Lopes implantou o desenvolvimento do projeto “Horta na Escola”. Envolvendo cerca de 120 alunos, desde a pré-escola até o nono ano, a atividade vem rendendo importantes avanços na produção de hortifrutigranjeiros sem a adição de agrotóxicos. O projeto idealizado pelo professor Ciro Carvalho Leão, que também responde pela direção do educandário, conta com um importante ingrediente: a parceria direta de pais e colaboradores da comunidade escolar ligado à EMEF. Com isso, a pequena escola de apenas nove anos de existência vem, literalmente, colhendo excelentes frutos de sua produção.

Além dos resultados positivos da horta, a atividade desenvolvida gera importantes laços de participação comunitária em torno da escola. “O projeto é um excelente meio de aprendizagem do plantio de hortifrutigranjeiros, da troca de experiências e da utilização da produção na merenda escolar”, ressaltou o professor.

O exemplo de uma excelente ideia não pára por ai. O excedente da produção é comercializado pelo (Círculo de Pais e Mestres) CPM da escola, e os fundos arrecadados servem para compra de sementes, de mudas e para custear o corte de grama do pátio do local. “É um trabalho integrado entre a direção, alunos, professores, pais e moradores da localidade que acreditaram nesse trabalho”, explicou a professora Dinamar Pinheiro Baldez, atual vice-diretora do educandário. Ela lembra que toda a produção da escola é inteiramente orgânica.

Além dos hortifrutigranjeiros, a escola já vem investindo na diversificação da produção. Um novo projeto já vem sendo desenvolvido e promete dar novas opções de lucratividade para a escola: o plantio de morangos. “Já contamos também com a produção de cítricos e de árvores nativas”, observou.

A escola conta com um quadro de nove funcionários, 21 professores e um estagiário.

Comente esta notícia Jornal Cidade

clique aqui para imprimir