Implantação efetiva do Parque Estadual do Espinilho avança

  Monday, 17 July, 2017

O Parque Estadual do Espinilho, localizado na Barra do Quaraí, ganhou um guarda- parque. O profissional, Maurício de Freitas Scherer, com formação especifica e concursado já tomou posse e está desempenhando suas funções no local.

A conquista vem após uma longa batalha pela efetiva implantação do Parque encabeçada pela Organização Não Governamental (ONG) Atelier Saladero, e contou com o apoio do Partido Verde (PV), através do deputado João Otávio Reinelli. Reinelli veio a Uruguaiana em abril, a pedido do presidente municipal da sigla e atual secretário adjunto do Meio Ambiente, Paulinho Vargas. Na ocasião, o Deputado visitou o Parque e recebeu a solicitação da ONG. Anteriormente, em setembro de 2016, Reinelli já havia estado na Barra do Quaraí, também acompanhado pelo dirigente uruguaianense, quando se reuniu com autoridades e ambientalistas locais para tratar das demandas do Espinilho e desde então incluiu na agenda o compromisso de acompanhar a evolução das providências. Ele vem intermediado as negociações junto à Secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema) em busca da criação do Conselho Gestor e melhorias para o Parque, entre elas o aumento do número de servidores.

A medida é considera uma conquista para a região, que tem grande potencial ambiental e turístico. O deputado “Fico satisfeito de saber que a mobilização da comunidade e a nossa participação nisso começa a dar resultados. Há muito ainda o que se conquistar e, portanto, vamos continuar mobilizados”, comemorou o líder do Partido Verde na Assembleia Legislativa.

O movimento também teve apoio do vereador Fernando Alonso. “O apoio do Deputado foi e está sendo fundamental para a implantação do Parque Estadual do Espinilho. Existe a previsão de nomeação de mais três guarda-parques”, explica o Parlamentar.

Savana gaúcha

O Parque Estadual do Espinilho foi criado em 1975, através do Decreto Estadual n° 23.798, com o objetivo de proteger o remanescente de uma formação vegetal única na paisagem do Rio Grande do Sul, a savana-estepe e a savana-parque, que possui espécies vegetais como o espinilho (Vachellia caven), o algarrobo (Prosopis nigra) e o inhanduvaí (Prosopis affinis). Diferentes espécies da fauna estão associadas a este tipo de formação e dependem do Parque para a manutenção das populações. O Parque tem uma área de 1.617,14 hectares, sendo que somente parte da área está com a situação fundiária regularizada. Em alguns locais do Parque ainda há gado bovino e equino pastando. Destaca-se ainda a existência de matas ciliares, que têm uma vegetação bem diferente da vegetação tipo parque ou savana encontrada na maior parte da área do Parque.

Comente esta notícia Gabriela Barcellos/Jornal Cidade

clique aqui para imprimir